Archive for the 'Canções TFM' Category

Ai Ai Mamãe

Ai, ai, mamãe
O que é que estou fazendo aqui

A minha vida lá em casa
Era comer, beber, dormir
Era comer, beber, dormir

Pensando bem mamãe
Não vou voltar pra casa não

Quero dormir no Canguru
E acordar na Flexão !!!

Chuva

Tomara que chova uma chuva bem fininha
Que molhe a cama dela e ela passe para a minha
Tomara que chova uma chuva de morteiro
Que mate o meu sogro aquele velho cachaceiro
Tomara que chova até de madrugada
Que molhe a minha sogra aquela velha desgraçada

Tô querendo me casar

Tô querendo me casar
Mas eu não acho com quem
Vou casar com mulher magra?
Mulher magra não convém
Não convém, mulher magra não convém, eu não quero me espetar nas ossadas de ninguém

Tô querendo me casar
Mas eu não acho com quem
Vou casar com mulher gorda?
Mulher gorda não convém
Não convém, mulher gorda não convém, eu não quero me afundar nas gorduras de ninguém

Tô querendo me casar
Mas eu não acho com quem
Vou casar com mulher alta?
Mulher alta não convém
Não convém, mulher alta não convém, eu não quero me trepar na escada de ninguém

Tô querendo me casar
Mas eu não acho com quem
Vou casar com mulher baixa?
Mulher baixa não convém
Não convém, mulher baixa não convém, eu não quero me sentar no tamborete de ninguém

Tô querendo me casar
Mas eu não acho com quem
Vou casar com mulher feia?
Mulher feia não convém
Não convém, mulher feia não convém, eu não quero me assustar com as carranca de ninguém

Você pensa que é malandro

Você pensa que é malandro
A Lagartixa é muito mais
Ela sobe na parede
Coisa que você não faz

Você pensa que é malandro
O Urubu é muito mais
Ele sobre nas alturas
Coisa que você não faz

Final de corrida

Corridinha mixuruca
Que não dá nem pra cansar
Eu aqui nesse passinho
Volta ao mundo vamos dar

Essa não, essa não
Minha língua está no chão
Essa sim, essa sim
Mas eu vou até o fim

Tem alguém cansado?
Não, Senhor! Aqui não tem cansaço, nem tão pouco covardia
Aqui só tem recruta, dessa nobre companhia

Lá em casa

Lá em casa é diferente
Pra vocês eu vou contar
A minha mãe dorme em sentido
E o meu pai em descansar

O quintal da minha casa
Não se varre com vassoura
Varre com ponta de sabre
Tiro de metralhadora

A comida lá de casa
Não tem tempero nem sal
A comida lá de casa
É ração operacional

A alvorada lá de casa
Não precisa corneteiro
Minha irmã põe o petardo
E estoura o banheiro

O armamento lá de casa
Não é só três oitão
O armamento lá de casa
É o fuzil e o canhão

Muito operacional

Somos parte de uma tropa
Que tem fibra e moral
Disciplina elevada
Tropa operacional

Não tem medo do inimigo
Nem do fogo da metralha
Quando entra em combate
O inimigo estraçalha

Somos fogo em movimento
No combate aproximado
Nós fazemos o inimigo
Se arrepender dos seus pecados

Somos homens da mochila
Capacete e cantil
Nossa força combativa
Está na ponta do fuzil



Follow

Get every new post delivered to your Inbox.